Carta de amor #1

Pedi a algumas das minhas pessoas favoritas para escreverem cartas de amor. Valia expressar o sentimento a qualquer coisa/pessoa: escritor favorito, sabor de sorvete que mais gosta, o político que mais odeia, enfim, o que trouxesse maior inspiração.
Alguns, muito dignamente, me ajudaram com o objetivo e fiquei sensibilizada! Aliás, convido a quem mais desejar fazê-lo, a me enviar a sua respectiva carta e irei postar aqui com os devidos créditos.
Só para frisar especificamente: o conteúdo do texto abaixo é de propriedade intelectual de seu autor, logo, proibida a cópia total ou parcial sem a devida autorização. Bêjo!

Autor: Guilherme
Contato: http://ask.fm/hansemlarkendal

Postcard for Helena, postcard from Heaven

Para você guardei o amor que esqueci de dar a alguém, mas que carregava comigo para que um dia me fosse roubado. E que ladra você! Me roubaste o amor em uma fração de segundo, me tomaste de assalto com a mais mortal das armas que tens. Diga-me, alguém já sobreviveu incólume ao teu sorriso? Pois eu não, mataste em mim a descrença no amor, a dúvida de que simplesmente ver alguém por dez segundos pudesse me fazer feliz um dia inteiro. Me mataste e me deste uma vida de ansiar por esses dez segundos, que bem desejava fossem horas junto de ti.
Me tornaste o mais atento ouvinte do que dizias, e o mais constante admirador da tua presença. Sem querer me ensinaste que a felicidade é simples, mora num trivial encontro de olhares, numa meia palavra, num abraço desajeitado. Aliás, não sei se percebeu, mas eu que te amo tanto não aprendi a te abraçar, mas mesmo assim, atrapalhado, queria te prender um dia inteiro nesses abraços. Um dia, a semana, o ano, a vida inteira, o tempo é pouco para situar meu amor, e nem dois dias no ano contigo eu tenho. Você vai fugir da minha vida e eu da sua, você vai ser mais uma lembrança de um amor que foi infinito enquanto durou, mais um dos meus venenos da minha morte.

Do todo seu até que se torne insano
Hansem Larkendal