Nudes

Tenho opiniões pouco populares assim como todo mundo. Para começar: vazamento de nudes.
Lembrando a citação de Bukowski, somos seres humanos, logo, temos bocas e cus. Uma parte tem seios e vagina, outra tem pênis. (A terça parte tem uma mistura destes órgãos ou a ausência de um ou mais deles.) Contudo, é possível dizer que essencialmente somos todos iguais. Em razao disso, é de se admirar que “vazamento de fotos em que a pessoa está nua” causem tanto furor nos dias de hoje.
Dias em que a Playboy pensa em parar de publicar fotos de mulher pelada porque a internet já está repleta delas.
Dias em que a televisão aberta mostra em horário nobre pessoas semi-nuas realizando preliminares (quando não estão transando realmente).
Dias em que a vulgarização do corpo só não é páreo para a da mente.
Então, me desculpem se reviro sucessivamente meus olhos quando vejo que a pessoa mudou de cidade/trabalho/nome só por causa de fotos ou vídeo terem mostrado um lado pouco lisonjeiro do vosso “eu”.
Porque, em última análise, é só isso mesmo: passado o constrangimento inicial pela luminosidade ruim, ângulo pouco favorável ou qualquer outra nerdice cinéfila à parte, aquilo ali não é novidade para ninguém.
Exceto casos de abuso por questão de idade e/ou capacidade, não acredito que seja um motivo para “morrer”. O mundo vai continuar girando, girando.
Sintetizando o drama da situação, creio que a única parte realmente frustrante é ter aquilo revelado sem autorização seja com fim lucrativo ou não. Não é nenhum crime mandar fotos suas para alguém, afinal, mas é violação da confiança – até mais que da intimidade/privacidade – este alguém se valer desta boa vontade e propagar o material como se fosse santinho de político em dia de votação.
Basicamente, minha mensagem é: saiba para quem está enviando ~nudes~. Não reclame mais tarde, por favor.